Picture SNOWSHOEING IN SANTA FE (NEW MEXICO, USA, March 2010)

Vicky Mundo Afora ou Mundoafora? Nao importa. É vida de imigrante. O mundo eh tao grande. Por que deveria passar minha vida inteira no Rio de Janeiro? Preciso viver e falar outras linguas, viver com e como outras pessoas. Um dia eu volto. Para onde? Ora, para casa. Onde eh casa mesmo?



Picture credits on this blog go to my lovely husband, who has never enough of beautiful and interesting views all over the world. If a picture is not his, it will be linked to its original source.

Pesquisar este blog

Carregando...

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Red or Green e Linguicas no Novo Mexico

No país do hamburguer e hot dog voce espera que ao menos essas duas coisas sejam deliciosas, nao é? Bem, pode esperar mesmo, essa gente entende bem pouco de comida, achar um hamburguer descente é um parto! Mas eles existem, se voce tiver paciencia e fizer amizade com os locais. Felizmente, pra mim, o meu marido é local aqui nesse fim de mundo onde moramos e hoje ele me levou numa caverninha bem bonitinha, com cara de lanchonete dos anos 50, cheia de fotos da Marilyn Monroe (pra ele) e do Humphrey Bogart (pra mim).


O nome da lanchonete é Little Red Hamburguer Hut, em Albuquerque, New Mexico. O lugar recebe excelentes reviews, olha aqui.  E acho que é o único lugar nesse país que faz batata frita fresca, quer dizer, nao congelada. Como tudo por aqui, voce pode escolher o lanche normal ou cheio de pimenta. O que acontece é que muitas vezes mesmo pedindo sem pimenta voce recebe a comida ardendo e chora com a boca de fogo de dragao que queria evitar . E eu gostei desse lugar porque isso nao aconteceu (é, isso acontece com frequencia irritante, até no McDonalds). Meu marido, dando pitaco no post, mandou acrescentar que a pimenta do lugar é honesta. Isso é porque a pimenta típica daqui nao é o molhinho que a gente ve no supermercado no Brasil. É um ensopadinho de pimenta mesmo, fica igual a ensopadinho de quiabo, e voce ainda pode escolher se quer verde ou vermelho. Nao me pergunte nada, prefiro continuar alheia a isso.

Enfim, depois do "almoco" (é, aqui eles consideram isso uma refeicao aceitável, e nao um lanche) nós estávamos nos encaminhando para casa e meu marido resolveu parar num lugar de nome esquisitíssimo: Joe S. Sausages and Italian Ravioli. O Joe, super simpático, é dono de uma mini-fábrica de linguica e ravioli. O menu é um quadro branco com as listagens escritas com canetas coloridas, onde ao invés de apagar as opcoes que já esgotaram ele só escreve sold out em verde ao lado. Eu adoro linguica, e na Inglaterra eu aprendi a comer as mais esquisitas que apareciam. Se nao tem pimenta, eu me arrisco a provar sim. E o ravioli ele faz na maquininha, todos os dias, com um recheio que parece ótimo, criado por ele. Bem, compramos uma linguica de ervas e alho e o ravioli. Está no freezer para a janta do dia 25. Estou salivando!

Um dia que comecou com uma visita a uma padaria francesa, seguiu para um supermercado mexicano, passou pelo hamburguer e terminou na linguica caseira só podia me trazer uma boa notícia também. O Joe, da linguica, disse que se eu descobrir a receita da linguica calabresa brasileira ele faz e poe no menu dele. Vai ter linguica no churrasco, gente! Só quem mora longe de casa, tendo que comer coisa ruim é que sabe como é bom descobrir certas coisas. E ainda dizem que Papai Noel nao existe!!!

***

2 comentários:

Carlinha Salgueiro disse...

Este post deu fome, mas como você prefiro me abster de provar as pimentas. Diga a seu marido que até os molhinhos dos supermercados do Brasil eu pulo... Mas, meus pais amam, e hoje plantam os mais variados tipos de pimentas em casa!
Ah, tem duas "pimentas" que eu amo e não abro mão: a pimenta do reino numa forma não muito moída, e a pimenta síria, que é uma misturas de condimentos que adoro colocar na carne moída para diversos fins.
Beijos!

Vicky disse...

É verdade, Carlinha... rsrsrsrs

E a pimenta do reino eu nao dispenso também nao, mas só se for moída na hora.

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin