Picture SNOWSHOEING IN SANTA FE (NEW MEXICO, USA, March 2010)

Vicky Mundo Afora ou Mundoafora? Nao importa. É vida de imigrante. O mundo eh tao grande. Por que deveria passar minha vida inteira no Rio de Janeiro? Preciso viver e falar outras linguas, viver com e como outras pessoas. Um dia eu volto. Para onde? Ora, para casa. Onde eh casa mesmo?



Picture credits on this blog go to my lovely husband, who has never enough of beautiful and interesting views all over the world. If a picture is not his, it will be linked to its original source.

Pesquisar este blog

Carregando...

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

O dia que fui "sequestrada" na Itália

O tempo vai passando e o trauma vai ficando engracado. A Itália me fez perder todo o bom humor que sempre tive, e muito aos poucos as coisas vao melhorando. Talvez eu ache graca de tudo quando chegar aos 99...

Já contei aqui da marilyn-monroe-super-trash-italiana Loredana. Figuraca impagável, dificil descrever, tipo da criatura que só vendo para saber que nao estou exagerando. Nos aproximamos por um amigo em comum, e como amizade era a commodity mais rara na Itália, eu topava qualquer convite, senao passava dias sem ter nem com quem trocar um buon giorno.

Eu estava quebrada, sem um puto no bolso, e dependia de meia-duzia de aulinhas de ingles e da bolsa da pós para sobreviver. E sem ir a aula nao tinha nem dinheiro, nem comida, pois o ticket-refeicao era dado com uma semana de atraso, de acordo com a presenca na semana anterior. Eu nao faltava porque sou CDF mesmo e que se dane quem acha que estou errada. Adorava ir a aula - poxa, era um dos poucos prazeres que tinha naquela terra da polenta com urtiga.

Loredana um dia me convida para ir a uma boate. Dancar é praticamente o paraíso na terra para mim, claro que topei, mas perguntei antes se era lugar de salsa porque eu O-DEI-O. Ela me garantiu que nao. E nao podia ser muito caro tambem, meu budget total para o noite era de 25euros, ou eu nao teria o que comer pelo resto da semana. Tudo bem, tudo acertado, ela disse que era lugar de gente bonita, que eu ia gostar, etc, etc.

Estavamos em Padova, e ela se encaminha para a campagna... E dirige, dirige, dirige, dirige e dirige mais um pouco. No meio do nada tinha uma luz e uma tenda branca. Quando saí do carro tinha barulho de... SALSAAAAAAAAAAARRRRRRRRGGGHHHH! Quero minha maaaaaaaaaaaeeeeeeeeeee!!!!!!!!

Entrada: 35Euros, musica: salsa e forro, frequencia: os marroquinos mais feios e fedidos da face da terra e mulherada esquisita de vestido de oncinha, bebida: caipirinha de Marimbondo misturada por barman Albanes. Nao tem preco! Aquele raio de lugar era o sonho de qualquer guardinha da Questura na terra da Lega Norde. Ninguém merece! Já estava lá mesmo e sem chance de escapar, pedi uma vodka dupla com RedBull, pelo menos ia me manter acordada para tomar conta da carteira.

Voltei a casa da Loredana as 4 da manha, para levantar as 7 e pegar o trem para ir a aula. Ela falou "fica tranquila eu te levo na estacao quando sair pro trabalho". Onibus as 7 da manha em Padova nao é fácil.

Entrei no carro, pegamos a estrada em direcao oposta a estacao, ela entrou na auto-estrada e pegou a via que indicava "Bologna". Ai meu Pai do Céu, o que vem agora? "Estamos indo a praia em Riccione porque voce tá muito estressada, só pensa em estudar, precisa se divertir um pouco". Riccione? Que raio é isso? "É uma praia perto de Rimini, mas é muito melhor frequentada". TO FU....! De onde voce tirou essa idéia de que eu preciso ir a praia? Eu quero ir a minha aula, to atrasada. Nao tenho nem dinheiro para cair na estrada hoje porque voce já me quebrou ontem. "Ah é, a gasolina é cara, sai 3oEuros para cada uma porque o caminho é longo, sao 4 horas até chegar lá". Como é que é???????? Hoje nao é meu dia. Aliás, nem a semana. Por que eu fui sair do Brasil? Loredana, eu nao tenho nem biquini. "Tem sim, eu coloquei tudo na mala do carro e um picnic também, assim a gente nao gasta dinheiro com comida no caminho". Grande consolo...

Pois é, saí de casa na quarta-feira as 5 da tarde, só consegui voltar na sexta as 6:30 da manha, sendo que o meu trem saia as 7:30. E eu morava num convento, onde TODAS as explicacoes tinham que ser dadas. Depois disso tudo, ainda tive que encarar cara feia de freira... Meus sais!

***

3 comentários:

Brasil na Italia disse...

hahaha... Eu posso imaginar o drama da situação no momento, mas não deixa de ser uma história para contar para os netinhos.

Fala a verdade, no fim você vai acabar ficando com saudades da Italia e vai voltar aqui, pelo menos para as férias...

Vicky disse...

O pior é que eu volto... Coisa de masoquista, só pode ser.

LuLu disse...

HAHAHAHAHAHA!
Te odeei chamando os italianos de terrone, sabia? Mas confesso que to viciada no seu modo de descrever as suas desventuras na Italia! Voce é ooootima!! Parabéns pela maneira inteligente e bem humorada com que descreve as situaçoes mais dificeis do mundo! Vai ser pé frio, hein? Tadinha!
Um abraço.
LuLu

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin