Picture SNOWSHOEING IN SANTA FE (NEW MEXICO, USA, March 2010)

Vicky Mundo Afora ou Mundoafora? Nao importa. É vida de imigrante. O mundo eh tao grande. Por que deveria passar minha vida inteira no Rio de Janeiro? Preciso viver e falar outras linguas, viver com e como outras pessoas. Um dia eu volto. Para onde? Ora, para casa. Onde eh casa mesmo?



Picture credits on this blog go to my lovely husband, who has never enough of beautiful and interesting views all over the world. If a picture is not his, it will be linked to its original source.

Pesquisar este blog

Carregando...

sexta-feira, 6 de março de 2009

Direito de Defesa sim, mas nao subjulgue minha inteligencia

Já que venho defendendo o lado do David Goldman no caso do sequestro do seu filho, Sean Goldman, eu sempre quis saber o outro lado da história. Saber se havia alguma justificativa para o sequestro. Eu acho que sequestro é indefensável em qualquer situacao, mas nao custa saber o qual é a desculpa deles. O excelentíssimo senhor doutor AdEvogado Joao Paulo Lins e Silva escreveu uma carta de defesa que, óbvio, foi divulgada pelo Globo. Leia aqui e tire suas próprias conclusoes. Se voce nao conhece o caso, leia a Veja desta semana que trouxe uma matéria completa sobre o caso - eu nao tenho o link pois nao sou assinante.

Se a intenção do JP Lins e Silva foi comover, ele conseguiu. Estou comovidíssima com a sua grande e cínica cara de pau. Deve ter levado dias escrevendo essa carta com a ajuda de um especialista de marketing para produzir uma narrativa dramática que desvia toda a atencao do foco principal: o sequestro. Toca em pontos dos quais ninguém tem provas e se usa de alegações de um casamento falido, fatos que não interessam a ninguém e justifica somente um divórcio, NUNCA um sequestro. Ah! Mas ele não quer que fale sequestro porque é um termo juridicamente incorreto. Tudo bem, não sou advogada, mas também não sou tão burra, vamos chamar então de RETENCAO ILEGAL DE MENOR EM PAÍS ESTRANGEIRO, ferindo os acordos da Convenção de Haia, da qual o Brasil e os EUA estão entre os signatários. Estrangeiro sim, porque a referencia do caso é New Jersey, onde o casal morava.

Bruna saiu do país (EUA) mentindo para o marido, poderia ter se divorciado antes. Se todas as alegações do coitadinho do JPLS fossem verdade, ela ganharia a guarda da criança lá mesmo. Mas é óbvio que é muito mais fácil fugir para o Brasil onde a lerdeza e o "você sabe com quem está falando" funcionam a todo vapor nas esferas do Poder Judiciário. Se o mérito da causa é o sequestro, ops, desculpe, a RETENCAO ILEGAL DE MENOR EM PAÍS ESTRANGEIRO, então não existe pensão a ser paga, não é mesmo? Alegar perda de identificacao com os laços de origem, causadas pela lerdeza da ação da justiça abre um precedente gravíssimo, deixando aberta a possibilidade para marginais manterem crianças seqüestradas escondidas por tempo suficiente para alegarem “laços sócio-afetivos”.

Não vou comentar ponto por ponto da carta de JPLS porque as duas partes falam de detalhes que não se podem provar, é uma questão de escolher qual o lado você quer apoiar. Eu procuro avaliar os fatos relevantes para o caso, somente. David tem gravações telefônicas - amplamente divulgadas na televisão americana - onde Bruna repete várias vezes que David foi um bom pai e um bom marido, mas ela quer ficar no Brasil porque quer se divertir, e não volta mais para os EUA. Acho isso um pouquinho em dissonância com as afirmações do JPLS, não? Outra coisa, JPLS se esqueceu de divulgar o link onde as tais canecas com as fotos do Sean são vendidas. Milhares de pessoas que apóiam o David ficariam felizes em comprá-las para ajudar David a pagar as custas dos processos. Só que ninguém nunca viu tal site ou mesmo a divulgação dele em lugar algum. Mistério...

Um comentário:

Ana Claudia Lintner disse...

Adorei o post Vicky.
Tudo isto e uma barbaridade e o maior prejudicado e o menino, privado do contato com o pai tao amoroso. Triste.

Tem um selinho do dia da mulher lá no blog pra vc. Espero que goste.

Beijos!
Aninha

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin