Picture SNOWSHOEING IN SANTA FE (NEW MEXICO, USA, March 2010)

Vicky Mundo Afora ou Mundoafora? Nao importa. É vida de imigrante. O mundo eh tao grande. Por que deveria passar minha vida inteira no Rio de Janeiro? Preciso viver e falar outras linguas, viver com e como outras pessoas. Um dia eu volto. Para onde? Ora, para casa. Onde eh casa mesmo?



Picture credits on this blog go to my lovely husband, who has never enough of beautiful and interesting views all over the world. If a picture is not his, it will be linked to its original source.

Pesquisar este blog

Carregando...

domingo, 30 de março de 2008

Meu pai

Sinto uma falta enorme do meu velho, que ficava furioso sempre que me ouvia chama-lo assim. Ainda nao digeri muito bem te-lo perdido, mas sei que vamos nos reencontrar - acredito mesmo nisso. Ir para casa passar o Natal e ver meu pai na cama, sem se mover sem ajuda e jah sem forcas ateh para comer. Ele sentia tanta dor que eu rezava todo o tempo pra Deus passar aquela dor para mim e deixa-lo em paz, foi horrivel ter visto tanto sofrimento. Gracas a Deus estavamos todos juntos, eu, minha mae e meu irmao, quando a medica disse que ele nao estava mais conosco. Ficou um vazio tao grande, mas quando eu lembro do sofrimento e da dor dele eu fico um pouco aliviada pois tenho certeza que ele estah muito bem agora.

Seu Reinaldo foi o melhor pai do mundo. Sempre se preocupou comigo, sempre fez tudo o que pode pra mim. Tem gente que nao acredita quando eu conto que nos tempos de faculdade ele ficava acordado ateh eu voltar da aula (eram noturnas) e preparava janta pra mim. Um dia eu entrei em casa perguntando se tinha presunto pq queria comer um misto-quente, e o danado do velho se mandou pra rua 11:30 da noite pra comprar presunto no 24hs da esquina... Sem contar as vezes que eu pedia cha, pao quente, pipoca... Nas maos do Seu Reinaldo eu sempre fui uma crianca de 2 anos, mesmo jah tendo passado e muito dos 30.

Foi ele quem me ensinou a nadar, na praia de Icarai. Quem me ensinou muito de Geografia quando eu sentava no colo dele com o Atlas aberto e ele me mostrava os paises e as capitais. Eu reconhecia o barulho do carro e sempre corria para abrir o portao quando ele chegava do trabalho, soh para grudar nele e ir junto ao supermercado fazer compras. No jornaleiro ele me deixava comprar todas a revisitinhas e figurinhas que eu quisesse. Ficava toda orgulhosa pq saiamos de maos dadas na rua - habito soh interrompido durante a abominavel "aborrecencia" - e ele cumprimentava 7 em 10 pessoas que passassem por nos... O velho poderia se candidatar a vereador, conhecia todo mundo!

Um dia eu resolvi que queria aprender a dirigir. Ele me levou na Auto-escola de um amigo. Fui tao bem na aula que o instrutor me deixou levar o carro - pela estrada - ateh o trabalho do meu pai. Cheguei na fabrica buzinando no portao da frente, ele levou o maior susto quando me viu...

Sempre teve muito ciume dos meus namorados, levar alguem em casa era um drama!!!! Passei por poucas e boas com ele por causa disso... Hoje eu rio. Tadinho, ele ficou muito mal quando eu mudei pra Londres, nunca consegui faze-lo aceitar que eu vivo bem aqui, sempre perguntava o que ele fez de errado pra eu querer ficar longe de casa.

Pai, o senhor nunca fez nada de errado. Muito pelo contrario. Eu sei que o senhor sentia muita falta de mim mas tambem tinha muito orgulho por eu ter feito o que sempre quis, sem depender de ninguem. O senhor sabe a educacao que me deu e a pessoa que hoje eu sou por isso. E eu tenho muito orgulho do senhor, pai. Eu te amo muito, e o senhor faz uma falta enorme na minha vida.

A gente vai ficar junto de novo um dia. Enquanto isso, nos proteja aqui, olha por mae. Sei que o senhor estah feliz com seus pais e seus irmaos. Por aqui vamos continuar levando a vida como podemos...

Seu Reinaldo, vou te amar SEMPRE!!!!!

5 comentários:

Roberto Fraga Jr disse...

Belo texto.

Comovente!

Um forte abraçO!

Vicky disse...

Valeu, Roberto. :-)

Claudia Robinson disse...

tenho pai,mas ele nao chega ao nivel do seu...tentei fazer dele um pai legal,mas o cara nao nasceu pra ser pai..por magoa,nao serei mae.

Vicky disse...

Poxa, Claudia, que pena. Mas o fato dele nao ser legal nao deveria ser impedimento para voce seguir a propria vida. Se voce tem um cara legal contigo, ser mae pode ser maravilhoso...

Anônimo disse...

Quando criança,eu passava algumas férias na casa da minha Avó materna.
Perdi meu pai com 3 anos de idade,e um dia (já adolescente) ela me deu a seguinte explicaçao:
"Creio que cada pessoa tem um Anjo ao lado, o Celeste(um ente querido q já foi pro céu, ou o Terreno,o ente querido que nos cuida dia-a-dia".
Moral da história, entendi a mensagem na época...
hoje,sinto ao meu lado o meu Anjo Celeste,ela.
Fica bem,
Ana Telles

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin