Picture SNOWSHOEING IN SANTA FE (NEW MEXICO, USA, March 2010)

Vicky Mundo Afora ou Mundoafora? Nao importa. É vida de imigrante. O mundo eh tao grande. Por que deveria passar minha vida inteira no Rio de Janeiro? Preciso viver e falar outras linguas, viver com e como outras pessoas. Um dia eu volto. Para onde? Ora, para casa. Onde eh casa mesmo?



Picture credits on this blog go to my lovely husband, who has never enough of beautiful and interesting views all over the world. If a picture is not his, it will be linked to its original source.

Pesquisar este blog

Carregando...

quinta-feira, 24 de março de 2011

O Blog da Bethania - Atualizacao Mea Culpa

Amo de paixao as músicas cantadas pela Maria Bethania.  Ela recebe para isso, por direitos autorais das vendas de cds e dvds, por shows. Eu mesma já comprei vários. Mas receber 1 milhao e 300 mil reais do Ministério da Cultura para fazer um blog? Nesse país que é tao carente de cultura em tantas frentes, com tantos projetos de alcance continental que nunca encontram patrocínio? Faco coro: PORRA! PQP! Mas será possível esse país?



Apoiadíssimo. Vai hidratar o cabelo, Bethania, vai.

***

Update Mea Culpa:
Quando neguinho quer avacalhar, oportunidade nao falta. Ri muito com a versao blogspot-caseira do Blog da Bethania. No entanto, como bem chamou a atencao o amigo blogueiro Pedro du Bois, o dinheiro nao foi "entregue" pelo Ministério da Cultura, mas sim, um projeto recebeu autorizacao para captar recursos com o apoio da Lei Rouanet. Ou seja, as empresas que concordarem em patrocinar o projeto (que na verdade é para um conjunto de vídeos de poesia, sendo o blog apenas um dos meios de divulgacao) receberao uma isencao fiscal.

No Brasil, o imposto é calculado já contando com a porcao que será desviada no meio do caminho. Segundo contadores diversos, 30% do que pagamos é o necessário para que o governo cumpra com suas obrigacoes. O resto já é contado como certo que servirá de caixinha, caixa dois, cafezinho, molha-mao, taxa de urgencia, etc. Diante desse cenário, eu to preferindo o meu dinheiro servindo para o pagamento de projetos culturais relevantes para o Brasil.

Prosseguindo...

Eu li o projeto do Blog da Maria Bethania (depois de ter feito este post, é verdade) e gostei mesmo da proposta. Nao tenho como avaliar custos, se sao realistas ou nao (estao descriminados no projeto), mas ter metade da verba destinada ao pagamento de honorários para a Bethania, nao tá superfaturado nao? E cá entre nós, um projeto de nomes de porte, como esse - Bethania, Andrucha Waddington, Hermano Vianna - captaria recursos mesmo sem a Lei Rouanet por trás.

Enfim, além da gritaria fanfarronica contra o projeto, encontrei dois ótimos posts pela internet - este aqui e aquele lá, colocando a questao de maneira mais inteligente do que eu seria capaz de fazer. Além da explicacao dada pelo Hermano Vianna, que foi o mentor de tudo.

A intencao é boa, a legalidade está sendo respeitada, mas e a questao da justica da captacao dos recursos por artistas que além de possuírem recursos próprios, sao pessoas de destaque em suas atividades e tem condicoes de captarem recursos sem apoio federal? Nao sei e nao tenho instrumentos hoje para avaliar qualquer política pública brasileira de incentivo a cultura. Vou lendo o que posso, e mais a frente terei uma opiniao formada. A única coisa que sei é que a ditadura do mau-gosto impera no Brasil de hoje. Quando sai do país, só conseguia ouvir funk no rádio e a programacao de televisao me dava náuseas. E isso é no que se resume o acesso a cultura da maioria do povo brasileiro. Nao gostam do que nao conhecem e idolatram o que tem acesso por ser o que conhecem. Minha única certeza  é que quando isso tudo ficar pronto eu serei uma das seguidoras do blog de poesias da Bethania. 

Mas, antes de terminar, um apelo: Bethania, apesar de tudo, o rapaz do vídeo acima tem razao, vai hidratar esse cabelo!

***



2 comentários:

Pedro Du Bois disse...

Cara Vicky, tudo bem? Também estou "cabreiro" com essa história de a Bethânia levantar tal quantia em renúncia fiscal. Mas, consideremos o fato de que ela apresentou projeto ao Minc buscando vê-lo aprovado dentro das políticas da Lei Rouanet. Técnicamente, perfeito. Mais, o Minc não está colocando nenhum centavo nas mãos dela. De posse do projeto, ela e seus assessores sairão à cata da referida quantia junto aos pagadores de impostos. Se algum, ou alguns, ou vários, entenderem viável o projeto, poderão encaminhar suas renúncias fiscais ao mesmo. Portanto, se o projeto foi apresentado e aprovado dentro das normas, quais razões teríamos para impedí-la de a eles concorrer? Pois é. Não seria mais oportuno "brigar" por alterações na lei? Sei lá, criar algum tipo de "handcap" para os já famosos? Por que, impedí-los de concorrer se apresentaria como discriminação das grandes. Abraços, Pedro.

Vicky disse...

Pedro, voce tem mesmo razao, o projeto seguiu a lei direitinho, nao tem tramóia. O que nao significa também que a lei seja justa, pois já que trata a todos igualmente (ao menos em tese)fatalmente haverao injusticas, pois nao somos todos iguais. Meu erro primário foi nao ter lido mais a respeito antes de postar pois havia entendido que o dinheiro seria fornecido pelo MinC. Porém, o que me causa mesmo espanto é a quantia excessiva, pois Maria Bethania é um nome capaz de captar recursos mesmo sem o apoio da Lei Rouanet (o cache dela sozinho é de R$600mil!). Que o Brasil é um país de elite iletrada, parafraseando um outro blog que li a pouco, é óbvio. Que o "mercado" tem mais interesse em apoiar funk e axé do que poesia, infelizmente é mais que óbvio. Tudo relacionado a lei de incentivo a cultura é complicado, pois esses julgamentos nao sao isentos de valor, um nome consagrado sempre terá precedencia frente a um desconhecido. Dificilmente um projeto pequeno, de uma comunidade obscura irá obter essa mesma permissao para captar recursos, e caso consiga, quem irá apoiar? Longe de mim ter a resposta para a reforma da Lei Rouanet, da Lei do Audiovisual, mas que elas sao injustas, isso é fato.

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin