Picture SNOWSHOEING IN SANTA FE (NEW MEXICO, USA, March 2010)

Vicky Mundo Afora ou Mundoafora? Nao importa. É vida de imigrante. O mundo eh tao grande. Por que deveria passar minha vida inteira no Rio de Janeiro? Preciso viver e falar outras linguas, viver com e como outras pessoas. Um dia eu volto. Para onde? Ora, para casa. Onde eh casa mesmo?



Picture credits on this blog go to my lovely husband, who has never enough of beautiful and interesting views all over the world. If a picture is not his, it will be linked to its original source.

Pesquisar este blog

Carregando...

segunda-feira, 11 de julho de 2011

A Dieta

Nem sei se posso chamar de dieta, mas na época que percebi que tinha engordado além da conta, fiz algumas modificacoes na minha rotina alimentar e o meu peso despencou.  Nao tenho forca de vontade para certas coisas, se fosse seguir alguma dieta maluca, nao obteria nenhum resultado.  E tudo o que fiz, foi da minha cabeca, prestando atencao em tudo o que ouvia sobre dietas e selecionando o que parecia fazer sentido, do que parecia absurdo e arriscado.  Sao coisas simples, que só vao tornar a sua dieta mais saudável, embora consultar um nutricionista e um médico é sempre o mais indicado para controle de peso.

Quando era crianca, um dos apelidos pelo qual meus primos me chamavam era Palmito: magrela e branca. Sempre quis engordar, tomava muito sustagen e vitaminas quando era pequena.  Hoje eu sou magra feito um vara-pau (ouvi isso da minha avó a vida inteira, e nao tenho idéia do que seja um vara-pau), mas já tive uma fase em que fiquei gordinha, mais ou menos dos 16 até os 20 anos. Coincidiu com eu ter saído do ballet (eram 7 aulas por semana), estudar para o vestibular e comecar a faculdade, quando tinha festa quase todo dia, e se nao tivesse, a gente inventava.


Com 16 anos
Com 26 anos

Nunca fui muito de subir em balanca, a minha medida sempre foram meus jeans. Se fecha está bom, se aperta, é hora de emagrecer. Até que um dia eu quis usar uma calca que nao usava há muito tempo, e ela mal passou pela minha cintura.  Resolvi agir.  Nao era a minha intencao, mas passei de 59kg para 48kg em 3 meses. E depois passei uns 5 anos (e muitas latas de Sustagen) tentando engordar 2 kg de volta.  Mas, eu tinha 20 anos e o metabolismo acelerado, além de trabalhar e estudar. Naquela época eu nao bebia sempre, saia muito e ficava só na água mineral.

Aprendi algumas coisas básicas com minha avó, desde pequena. Por exemplo, nunca gostei de beber nada durante as refeicoes. Depois aprendi que, realmente, atrapalha a digestao e deixa o estomago distendido. Tome um copo d'água meia-hora antes, e depois só pode beber de novo após 1 hora de terminada a refeicao.  Outra coisa, sempre fui a última a sair de qualquer mesa. Até hoje. Mastigo tudo muito devagar, pequenas garfadas por vez.  Uma ocasiao meus primos se deram ao trabalho de contar quantas vezes eu mastigava cada garfada. Resultado: 50. Nao raro eu nao queria mais terminar o prato pois a comida que restava já estava congelada...

 Fui entao seguindo umas regras que estabeleci para mim mesma:

  • Troquei tudo que eu comia refinado, pela versao integral: pao, arroz, acúcar, macarrao.
  • O líquido que eu bebia depois das refeicoes (aquele, 1 hora depois) era normalmente um chá bem quente e sem acúcar. Tomava umas 4 xícaras de chá por dia. Acho que chimarrao também faria o mesmo efeito.
  • Tomava dois comprimidos de alcachofra composta junto com o chá, para ajudar na digestao.
  • Diminuí a quantidade do que gosto (frituras), só uma vez por semana. 
  • Parei de comer batata-frita por 3 meses, depois reintroduzi mas em menores quantidades.
  • Refeicoes no prato de sobremesa e sem direito a repetir.
  • Comia alguma coisa (nutritiva) de 3 em 3 horas.
  • Obriguei-me a tomar café-da-manha todo dia. Esse era fácil porque meu pai preparava para mim. Comia tudo o que tivesse vontade. O ideal é deixar o mais calórico do dia para a parte da manha. Calórico, mas nutritivo.
  • Parei de jantar depois das 7 da noite. Depois desse horário, só um chá com cream cracker integral. Ou se a fome fosse grande, café com leite no lugar do chá.
  • Parei de beber qualquer coisa com acúcar, tudo passou a ser "ao natural". Menos o café, esse eu tomava com acúcar mascavo. Adocante, nem pensar. 
  • Nao como nada em versao light, diet, que tenha gosto ruim. Se o gosto nao é bom, eu nao como. Comia a versao normal do que quer que fosse, só em menor quantidade e frequencia.
  • Nem um copo de refrigerante passava pela minha boca. Tomava guaraná natural.
  • Tudo o que eu comia devia ter algum valor nutricional. Caloria vazia nao, porque assim vai continuar com fome e comendo feito uma doida, o resultado é engordar.
  • 1 copo bem cheio d'água de hora em hora, marcado no relógio, para nao esquecer.
  • meio litro d'água já na cama, antes de dormir. E meio litro d'água assim que acordava. Ajuda a purificar o organismo como um todo e é ótimo para os rins.
  • Todo dia caminhava por 1 hora e meia em passos rápidos.
Bons tempos morando em casa, com meus pais, com empregada.  Era mais fácil cuidar da dieta. Hoje em dia, "nóis si vira comu podi". 

"Hoje" com 36 anos - 3 anos atrás


***

2 comentários:

Vicky disse...

Só mais uma observacao, muitas dessas coisas eu fazia porque trabalhava e estudava perto de casa, almocava em casa todo dia, e muitas vezes jantava por volta de 5 da tarde pois a faculdade era as 6.

Brasil na Italia disse...

Oi Vicky,
Muito boas as suas dicas.
Eu tambem sou a favor de um controle da alimentaçao inves de dietas malucas.
Aqui na Italia acabei perdendo alguns quilos sem fazer força e olha que no Brasil usava adoçante e aqui açúcar. Acho que o segredo é a quantidade (as porçoes italianas em geral são menores que as brasileiras) e o fato de ter que caminhar mais (por exemplo no centro da cidade é impossível chegar de carro).
beijocas,
Babi

LinkWithin

Blog Widget by LinkWithin